Blogger Widgets

|| Resenha || Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley

8 comentários


Título: Admirável Mundo Novo
Autor: Aldous Huxley
Edição: 22
Editora: Globo
Ano: 2013
Páginas: 397
Classificação: 4/5
Compare os preços |Skoob


Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime. Os conceitos de "pai" e "mãe" são meramente históricos. Relacionamentos emocionais intensos ou prolongados são proibidos e considerados anormais. A promiscuidade é moralmente obrigatória e a higiene, um valor supremo. Não existe paixão nem religião. Mas Bernard Marx tem uma infelicidade doentia: acalentando um desejo não natural por solidão, não vendo mais graça nos prazeres infinitos da promiscuidade compulsória, Bernard quer se libertar. Uma visita a um dos poucos remanescentes da Reserva Selvagem, onde a vida antiga, imperfeita, subsiste, pode ser um caminho para curá-lo. Extraordinariamente profético, "Admirável mundo novo" é um dos livros mais influentes do século 20. 


Admirável Mundo Novo é daquele tipo de livro que em qualquer momento da sua vida você tem que ler principalmente aqueles que são fãs de literatura alienada. Bom eu sou um deles, junto com Laranja Mecânica (que eu já li) e 1984 (que ainda vou ler) são clássicos desse segmento da literatura, e por mais surreal, diferente ou até mesmo estranho que seja esse tipo de livro me atrai, por suas narrativas e linguagens únicas e tais mundos que mesmo não tendo a mínima vontade de viver neles, me fascina pela criatividade de quem criou e isso define bem o porque eu ser fã de Distopias.

Uma sociedade além das nossas imaginações, onde supostamente tudo é perfeito e todos são felizes. As pessoas não nascem mais, são criadas em laboratórios. O conceito de família, pai e mãe se perdem, criando na cabeça dessas pessoas que vivem nessa sociedade uma ideia absurda de tal pensamento. Casar e viver com uma única pessoa não é aceitável. E a promiscuidade é algo normal e mais normal ainda é ter relações com mais de uma pessoa. A felicidade, impulsos, raiva são controlados por uma pílula o “soma”, que muda o ânimo de qualquer pessoa dependendo de quanto se toma. E nesse mundo novo vive Bernard Marx, uma pessoa que mesmo vivendo nessa suposta sociedade perfeita, pensa diferente e quer se libertar. Em outro lugar vivem os selvagens, aqueles que tem mães e nascem delas e lá conhecemos John, que não aceitará tão fácil essa sociedade e que será um personagem muito importante para complementar o enredo do livro.

Sem sombras de dúvidas Admirável Mundo Novo é um clássico e Aldous Huxley é um gênio por nos apresentar esse tal Admirável Mundo Novo que, aliás, nem é tão admirável assim, convenhamos. Entretanto podemos tirar valiosíssimas lições após terminar a leitura, como dar mais valor a família, pai, mãe, marido e mulher e assim ver que a felicidade não se compra (ou se toma) e sim se conquista e a verdadeira essência de Deus. Se naquela época (o livro foi escrito nos anos 1930) ele já queria passar esses valores, é mais válido ainda para os tempos atuais, onde muitos desses valores estão se perdendo pouco a pouco.

O começo é bem confuso e o seu decorrer também, é uma escrita de outra época, um pouco mais difícil e complexa, mas que não tira nem um pouco o brilho da obra. Tem bastante citações de Shakespeare (proibido a todos a leitura por ser algo velho) e isso deixa o livro mais interessante. Por ser uma escrita um pouco mais complexa eu me perdi em alguns momentos e fiquei sem entender algumas partes, mas num contexto geral da história dá para entender bem o que o autor quer dizer, entretanto já combinei comigo mesmo que Admirável Mundo Novo vai ser um livro que eu vou ter que reler um dia para poder entender um pouco melhor e ver se deixei passar algo importante.

Bom, em meio a tantos livros novos (lançamentos) sempre é bom dar uma chance aos antigos, os clássicos e Admirável Mundo Novo sendo um dos livros mais influentes do século XX é uma leitura que com certeza eu indico e mesmo não tendo me agradado em todos os aspectos é um livro que eu tenho orgulho de dizer que já li pelo menos uma vez na vida e espero que todos que já leram ou ainda vão ler tenham essa mesma sensação.



|| Lançamentos Abril || Editora Gente e Única

10 comentários

Olá pessoal, hoje venho mostrar os lançamentos da Editora Gente e Única
A Única chega em Abril nos trazendo O Teste sua primeira Distopia para alegria do nosso colunista Rafael rsrs, e para os que gostam de um romance sexy, temos o lançamento Devoção que tem tudo para se tornar mais uma série de sucesso.
Pela Editora Gente temos o livro O que falta para você ser feliz? que vai nos mostrar o que está faltando para a tão sonhada felicidade, e Transformando grama em ouro vem com dicas para termos sucesso nos negócios.
Quatro livros que vem para agradar diversos públicos, confiram abaixo as sinopses de cada um e me digam quais irão para a listinha dos desejados.


Título: O Teste
Série: Teste - Livro 1
Autora: Joelle Charbonneau
Páginas: 320

No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam. Será que uma jovem é capaz de enfrentar um governo que a escolheu para se defender?

Título: Devoção
Série: Devoção - Livro 1
Autor: J. C. Reed
Páginas: 288

Com uma promissora carreira pela frente, Brooke Stewart não é o tipo de pessoa que se envolve em relacionamentos, principalmente em seu trabalho. Entretanto, ao ser enviada para fechar um grande negócio na Itália, ela percebe que uma das peças-chave do seu novo projeto é o cara que ela havia abandonado dias antes em sua cama. Jett era um homem de negócios. E altamente atraente. Seu sorriso malicioso escondia seus verdadeiros intuitos e seus olhos verdes eram um convite permanente. Sexy e arrogante, um cretino e um estranho, disposto a conseguir tudo o que quer e, desta vez, ele desejava Brooke, não importando o preço a pagar. Então, quando eles percebem que essa relação pode afetar o mundo dos negócios, surge um contrato... Perigosamente arriscado. Altamente sexy. Uma relação que não aceitará um “não” como resposta.

Título: Transformando grama em ouro
Autor: Julio Casares
Páginas: 160

Em um mundo que fica cada vez mais competitivo, o que mais se ouve é “não deu para fazer o projeto dos sonhos porque não tinha dinheiro para isso”, ou “não desfrutamos das férias que desejávamos porque não deu tempo de planejar”, ou ainda “nosso emprego não é satisfatório porque não houve oportunidade melhor”. A carência de recursos naquilo que tentamos fazer é apontada o tempo todo e, no âmbito de uma empresa, esse sintoma toma proporções gigantescas. Como, então, fazer uma campanha de marketing se não há dinheiro para material e publicidade? Como fazer o cliente se apaixonar por sua marca, se tornar um fã fiel, quando todos os recursos se resumem a argumentação? Se não há fogos de artifício, nem dinheiro para comprar anúncios de televisão ou para contratar grandes agências de publicidade? E – ainda por cima! – você trabalha com uma equipe reduzida e estafada? Julio Casares pegou todas essas dificuldades e se tornou um verdadeiro mestre em fazer qualquer negócio gerar dinheiro. Qualquer negócio mesmo! Transitando por áreas altamente competitivas ao longo de sua carreira, ele criou a prática de descobrir os tesouros escondidos que todo negócio possui – mas que precisam de esforço, foco e planejamento para ser encontrados – e, depois que são trazidos à luz, apresentam lucros jamais esperados! Conheça como opera o homem que transforma grama em ouro e programas antigos de televisão em líderes de audiência. Existe um mundo de tesouros escondidos à sua espera.

Título: O que falta para você ser feliz
Autora: Dominique Magalhães
Páginas: 176

Por que há tanta gente infeliz, estressada, ansiosa ou, o pior de tudo... apática? Passando por casos reais – e que são comuns a todos nós –, a autora mostra que, apesar de todos acharmos que estamos buscando a felicidade, a grande maioria das pessoas sente um vazio interior difícil de sanar. Para definir o que constrói a felicidade não faltam clichês. Os cartões de aniversário e as revistas falam de momentos únicos, lembranças de tirar o fôlego, experiências que constroem a alma e amigos que tocam direto no coração. Enquanto somos pressionados a ter tudo isso, mal conseguimos terminar o dia sem dar um suspiro de frustração. O que falta? A autora lhe convida a uma jornada de autoconhecimento, questionando seus hábitos mais imperceptíveis e suas crenças estabelecidas. Assuma um compromisso consigo mesmo! Aceite o desafio e adote em sua vida o método criado para que você seja tudo aquilo que pode e merece ser. Encare o que falta para você ser feliz.

|| Resenha || Quando Tudo Volta - John Corey Whaley

19 comentários


Título: Quando tudo volta
Autor: John Corey Whaley
Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 272
Classificação: 2/5
Compare os preços | Skoob


Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa? Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador. O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas. Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.


E chegaram os lançamentos de Março do Grupo Editorial Novo Conceito, tantos livros para ler e a principal dúvida é: qual ler primeiro? Optei por Quando Tudo Volta, essa história do pássaro me chamou a atenção e quis conferir qual era a ideia do autor.

Quando tudo volta é um livro melancólico que no leva ao mundo dos adolescentes e suas dúvidas. Quando se é adolescente tudo é confuso em nossa vida, estamos saindo da infância e entrando numa fase onde não sabemos o que será do amanhã. 

Temos o personagem principal Cullen que é cheio de dúvidas em sua cabeça, questiona muitas coisas inclusive o sentido de tudo isso. Cullen é um garoto não muito sociável que não tem muita sorte com as garotas, ele próprio se acha meio sem graça, tem um emprego para passar o tempo, um amigo fiel - Lucas - amigo esse que tenta ajudá-lo em suas questões, dramas e dilemas, as vezes consegue, outras não. Cullen tem dezessete anos e seu irmão Gabriel tem quinze anos. 

Gabriel é o oposto de Cullen, ele é sociável, engraçado, inteligente, por onde passa sua presença é notada e seu irmão não se imagina vivendo sem ele, mas aí tudo muda e o que era ruim na vida de Cullen fica muito pior, Gabriel desaparece, ninguém sabe do seu paradeiro, Cullen se vê perdido, sem chão. Onde estará seu irmão? Ele não pode ter o abandonado assim num momento tão delicado de sua vida. Mas Gabriel sumiu e por mais que o procurem não há pistas, parece que ele simplesmente evaporou da face da Terra.

"- Eles precisam disso - disse Gabriel, rompendo o silêncio. - Eles precisam de um motivo para acreditar que ainda estão aqui por algum motivo."

Ao ler a sinopse eu pensei: uma hora ou outra  os pontos irão se interligar, um pássaro, um desaparecimento, uma morte por overdose, um fanático religioso. Mas confesso que eu me decepcionei um pouco com o rumo que a história tomou, eu pensei que pontas seriam ligadas, mas não foi isso que aconteceu, o autor me surpreendeu com esse novo rumo? Sim com certeza, foi algo que não imaginava, mas por outro lado penso que alguns assuntos inseridos no livro ficaram meio vagos, sem nenhum propósito, á não ser nos fazer pensar que teriam algum sentido no final, esse que foi corrido e sem algumas respostas que eu esperava.

"E, quando morremos.
Todos temos asas.
Não precisaremos mais de pernas para ficar de pé."

O livro nos traz vários personagens e por esse motivo achei que alguns deles não tiveram a atenção que merecia, gostei de alguns como Gabriel e Lucas, eles são bem mais centrados que os outros, Cullen viaja em algumas ideias e isso nos deixa um pouco perdidos. 

O livro é uma leitura super rápida, a narrativa é boa nos fazendo ler e ler sem parar, mas é uma pena que o autor não tenha suprido minhas expectativas.
Indico a leitura a todos, apesar de não ter curtido tanto assim a leitura é um livro que com certeza irá cativar muitas pessoas.






|| Resenha || A menina que não sabia ler - John Harding

17 comentários


Título: A menina que não sabia ler 
Autor: John Harding
Edição: 1
Editora: Paralela
Ano: 2010
Páginas: 288
Classificação: 2/5
Compare os preços Skoob


1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?


Por Rafael César: Comprei A menina que não sabia ler em 2012 e estava empacado na minha estante há algum tempo, o livro tem uma capa bonita e uma sinopse interessante, mas quando terminei de ler me senti assistindo aqueles filmes que passam no sábado a noite, onde colocam um bom suspense , enrolam até o final e decepcionam a ponto de te irritar de tanta enrolação para nada e essa foi a sensação que tive.

Florence é uma menina órfã de apenas doze anos, ela vive numa mansão onde só convivem os criados e seu irmão mais novo Giles a quem ela ama e protege. Florence e Giles tem um tio ausente, único vinculo familiar que eles podem dizer que tem, mas que só se comunicam através de cartas. Certo dia Florence pede a Sra. Grouse a governanta da casa para aprender a ler, mas com ordens de seu tio ela não pode ser educada, inconformada com isso por um acaso encontra a biblioteca da casa, um cômodo abandonado, mas repleto de livros, com o tempo aprende a ler e se aventura as escondidas em cada livro lido.

Após a tragédia da morte da Srta. Whitaker – preceptora de Florence e Giles – uma nova preceptora é contratada, uma mulher que já chega fazendo polêmica, ela é estranha e guarda muitos segredos. Florence não confia nela e vai fazer de tudo para desvendar seus segredos, mas as coisas começam a ficar estranhas e Florence com medo vai fazer de tudo para proteger seu irmão.

Sou fã de suspenses em geral, pois me prendem e me fazem ler mais e mais até o final, alguns livros enrolam no seu desenvolvimento, mas partem para um final de tirar o fôlego. O problema de A menina que não sabia ler é esse, ele tem bastante suspense e o mais legal com uma pitada de terror, só que os fatos que vão sucedendo começam a ficar passados e chatos e nisso a leitura se arrasta, percebemos que o autor está enrolando na história, mas ainda se ele encaminhasse para um final bom toda enrolação iria valer a pena e simplesmente isso não aconteceu. O autor tinha o suspense e o terror em mãos, depois que ele usou o suspense ele poderia ter usado um pouco do terror e ter deixado a história melhor e nisso achei que ficou alguns pontos soltos, o final foi fraco o que não valeu o livro todo, resumindo uma decepção.

A escrita do autor é boa e o desenvolvimento dos personagens também, que aliás são poucos o que facilita o entendimento da história, que se passa no ano de 1891, detalhe no livro que me chamou atenção, pois gosto de histórias que se passam em outra época.

O livro foi uma decepção para mim, mas se você ficou curioso em saber por que foi uma decepção, curioso com o que acontece com Florence e Giles e curioso com o que ela lê tanto na biblioteca abandonada, leia e tire suas próprias conclusões.



 Rafael César, 24 anos - Colunista e Resenhista

Alegre, adora filmes, livros, músicas e séries, mas também não dispensa uma boa balada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...