Blogger Widgets

|| Resenha || Vinte Garotos no Verão - Sarah Ockler

1 comentários


Título: Vinte Garotos no Verão
Subtítulo: Na verdade as coisas não vão embora. Elas se transformam em algo diferente. Em algo mais bonito
Autora: Sarah Ockler
Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 288
Classificação: 4/5
Compare os preços | Skoob


Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá). As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.

Em Vinte Garotos no Verão, conhecemos a história de Anna, Frankie e seu irmão mais velho Matt, os três são melhores amigos e quase inseparáveis. Anna nutre um amor por Matt há muito tempo, mas nunca contou a ninguém. Porém no seu aniversário de quinze anos, entre brincadeiras, sorrisos e olhares, Matt beija Anna, fazendo o coração dela bater mais forte deixando ainda mais vivo o amor que ela sente por ele. Os dois passam a se encontrar escondidos, começando assim uma linda paixão. Anna quer contar para Frankie, mas Matt não deixa pedindo que ela espere, e que ele mesmo quer contar, e ela promete que não vai contar. Acontece que um mês antes de Matt e Frankie viajarem, na qual ele iria contar sobre ele e Anna, num fatal acidente ele acaba morrendo, deixando Anna com um segredo e uma promessa a cumprir, pelo menos foi o que ficou na mente de Anna.

Quando isso acontece, você está totalmente despreparada, fragmentada e perdida, procurando um sentido oculto em cada coisinha. Reproduzi os eventos daquele dia centenas de vezes, procurando dicas. Um fim alternativo. Um efeito borboleta.

Um ano depois, a morte de Matt afetou a todos, principalmente Frankie, deixando-a completamente diferente do que ela era. E ela tem em Anna sua melhor amiga, todo o apoio. Os pais de Frankie planejam uma viagem para a praia, Frankie fica relutante no começo, mas depois cede. Anna vai junto e elas combinam de conhecerem vinte garotos nessas férias, no verão que pode ser o verão da vida delas, entretanto Matt nunca deixará os pensamentos de Anna.

Vinte Garotos no Verão é uma história sensível, mas ao mesmo tempo doce. Fala sobre amizade, o primeiro amor, perda e em como seguir em frente, tem um começo e um plano de fundo triste, mas no decorrer da história não se mostra uma história realmente triste, mas sim uma história que emociona em várias partes.

É também uma história que envolve segredos e mentiras, e que a qualquer hora pode vir à tona. Frankie quer se mostrar forte, mas interiormente ela não superou a perda de Matt. Anna guarda para si o amor que sente e teve por Matt, sempre querendo contar para Frankie, mas ela pensa que se fizer isso ela irá trair a promessa que fez para Matt e por isso mesmo relutante ela não conta.

A escrita da autora é suave e nos envolve na história, passando para o leitor toda a sinceridade dos sentimentos, fazendo-nos sentir o que os personagens sentiram.

Em alguns momentos não aprovei algumas atitudes das personagens, mas fui percebendo que tais atitudes eram necessárias, até mesmo para a história ficar mais madura. Mesmo tendo tudo a ver com a história, achei que poderia ter um titulo melhor, algo mais profundo que valorizasse ainda mais o livro, pois ele tem uma capa e história lindas.

Vinte Garotos no verão é uma história que irá tocar qualquer leitor, e que pode ser lida em qualquer momento e humor e que eu sinceramente indico.
Espero que tenham apreciado a resenha, até a próxima.


|| Resenha || Perdida - Carina Rissi

4 comentários


Título: Perdida
Subtítulo: Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo
Autora: Carina Rissi
Edição: 1
Editora: Baraúna
Ano: 2011
Páginas: 472
Classificação: 5/5
Compare os preços | Skoob


Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda do prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Perdida era um livro que estava estacionado na minha estante desde a Bienal de 2012, foi o primeiro livro que comprei no último dia da Bienal (meu segundo dia de Bienal) e tive o prazer de conhecer a Carina, que por sinal é muito simpática. Naquela época ela ainda estava em uma outra editora, meu exemplar de Perdida é a primeira edição, lançado pela Editora Baraúna

A curiosidade em ler o livro sempre esteve presente comigo, mas em meio a tantos livros para ler a gente se sente "Perdida" (olha o trocadilho) na hora de escolher a próxima leitura. Mas quando a Verus lançou Encontrada o segundo livro da série Perdida eu decidi que não podia perder mais tempo e deveria conferir essa história e também conhecer a escrita da autora, já que a maioria dos leitores é só elogios para ela.

Posso dizer que esses elogios são mais que merecidos Carina criou um romance encantador, daqueles que arrebatam corações e com uma pitada de fantasia, afinal quem iria imaginar que seria possível fazer uma viagem no tempo através de um aparelho celular... a modernidade tomou conta da literatura.

Depois de perder seu celular Sofia precisa urgentemente de um novo aparelho afinal como irá sobreviver aos dias atuais sem aquele aparelhinho tão útil? E ao comprar seu novo celular é que tudo vira de cabeça para baixo de repente ela não está mais em 2010 e sim em 1830, no começo ela não quer acreditar naquilo como seria possível uma viagem no tempo acontecer com ela?

Mas aconteceu e só resta a Sofia tentar descobrir uma maneira de voltar a sua vida, ao seu mundo. Em 1830 Sofia esbarra com Ian, um jovem muito atraente, cavalheiro, educado, charmoso, resumindo tudo de bom e o sonho de qualquer mulher. Em meio as dificuldades para se adaptar ao seu novo estilo de vida Sofia vai aprendendo a viver sem as modernidades as quais estava acostumada e vendo que existem coisas muito mais importantes na vida. Algo aconteceu no século passado, algo aconteceu no coração de Sofia e ela não sabe mais se quer voltar para o seu mundo ou se quer permanecer onde está. Será que ela teria coragem de abandonar toda a sua vida? Seus amigos, seu trabalho (que convenhamos não é lá grande coisa) para viver uma aventura? O destino e futuro de Sofia estará mesmo no século passado?

Após concluir a leitura de Perdida eu me pergunto: Por que demorei dois anos para ler esse livro? Sim minha fila de leituras é imensa, mas a partir de agora quando se tratar de Carina Rissi com certeza os livros irão furar a fila rsrs.

Carina escreve com maestria e cria personagens maravilhosos daqueles que nos despertam vários sentimentos. Sofia é a típica personagem que torcemos por um final feliz, mas vive fazendo trapalhadas e isso fez do livro uma leitura muito divertida nos tirando várias gargalhadas. 

Ian é o mocinho por quem é impossível não se apaixonar, ele perdeu os pais e tem uma irmã mais nova e se sente responsável por ela, quer se casar para ter uma esposa a qual possa educar sua irmã nas boas maneiras para que ela se torne uma esposa perfeita para qualquer cavalheiro de respeito. Mas jamais imaginou que essa pessoa pudesse ser Sofia, afinal naquele século as maneiras de Sofia não são bem vistas , suas roupas e seu jeito de falar não condizem com a realidade feminina da época. Mas quem manda no coração? Quando o destino já está traçado não há como mudar.

Para quem gosta de romances no estilo chick-lit irão adorar Perdida e também os fãs dos romances históricos eu indico, pois irão curtir muito, só posso dizer que depois de ler Perdida o próximo da série já está na minha estante e será uma das minhas próximas leituras. Aguardo novas aventuras de Ian e Sofia.

Valeu Carina Rissi por nos proporcionar uma leitura tão agradável, divertida e romântica. Beijos galera e até a próxima.


|| Resenha || A Conspiração - Clive Cussler

11 comentários


Título: A Conspiração
Autor: Clive Cussler
Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 527
Classificação: 3/5
Compare os preços | Skoob



Uma embarcação romana naufraga no século IV. Durante a Primeira Guerra Mundial, um navio inglês é destruído por uma bomba. Atualmente, no Oriente Médio, ícones da fé islâmica são bombardeados. E um misterioso pergaminho relacionado à vida particular de Jesus pode limitar o poder da Igreja Católica. Como eventos e fatos tão distantes podem ter alguma relação? O engenheiro naval Dirk Pitt (Diretor da NUMA – Agência Nacional Marítima e Subaquática) está acostumado a explorações subaquáticas — e a revelar mistérios indecifráveis — e parece ser a pessoa mais indicada para trazer a público o elo entre esses episódios tão incompatíveis. Mas a que custo? Uma aventura que mistura ¬ ficção e realidade em uma criação cheia de surpresas e mistério. Acompanhe o incansável herói Dirk Pitt em uma história em que arrepiantes artefatos religiosos, a CIA e o Mossad misturam-se às mais magníficas construções da arquitetura medieval.

Terceiro livro que leio do autor, A Conspiração tem um gênero que me agrada bastante, e é um livro cheio de aventuras, mistérios, espionagem e artefatos antigos, e mesmo já conhecendo a escrita do Sr. Cussler a leitura não deixou de ser arrastada, cansativa e até mesmo chata as vezes, entretanto, isso já havia acontecido com os outros livros do autor, o que deixou a leitura ainda mais demorada foi o tamanho do livro, com mais de quinhentas páginas, demorei mais de vinte dias, praticamente o mês inteiro, lembro que só demorei tanto tempo com um livro ano passado,Guerra dos Tronos, mas convenhamos é George R. R. Martin (rs).

Como citei acima o livro é recheado de aventuras, com vilões altamente perigosos e sem escrúpulos para alcançarem seus objetivos e até mesmo matando pessoas. A Conspiração é um livro que mistura ficção com a realidade, nos levam a grandes naufrágios, artefatos romanos que podem mudar a história do mundo. Dirk Pitt é um engenheiro naval diretor da NUMA – Agencia Nacional Marítima e Subaquática que vai estar envolto a essa trama, vai passar por poucas e boas para decifrar os mistérios, fugir dos vilões, envolvendo navios e submarinos numa grande aventura.

A Conspiração foi uma leitura um pouco difícil para mim, pois eu lia, lia, e a história não engrenava, por mais que fosse um tema que me interessasse aí eu lembrei que é da escrita do Clive mesmo, e quero afirmar aqui que é uma leitura meio arrastada em partes, mas não pela escrita dele, pois a escrita é ótima, só fiquei meio confuso às vezes com alguns personagens e em alguns momentos da história, arrisco a afirmar que pode ser por ser escrito por dois autores diferentes, no caso deste seu filho Dirk Cussler, mas acho que isso já aconteceu com os outros livros que li dele. Apesar de ser uma leitura arrastada, a história de A Conspiração é bem desenvolvida, interessante, com cenas de ações bem descritas, entretanto falta certa emoção em várias partes, até mesmo no final, se tornando um final simples. O complicado que quando foi revelando tudo, e se encaminhando para o final, nada me surpreendeu, tipo era o que tinha que acontecer, mas foi sem grandes emoções e surpresas.

Resumindo, o autor escreveu uma boa história, mas que ao mesmo tempo é falha e confusa, te prendendo pouco, não sei se foi o momento certo pra leitura, ou se o que eu lia eu não entendia direito ficando confuso, mas ao terminar o livro foi essa a impressão que eu tive.

E assim para aqueles leitores que querem começar a ler Clive Cussler, A Conspiração não é um livro que eu indico. Indico que comecem lendo O Reino, passem pelo O Espião, para assim pegarem A Conspiração, pois (acho) vão ter uma impressão melhor do que eu tive. Próximo livro que vou ler do autor será A Caçada e espero de verdade ser bem melhor que esse.




|| Resenha || Como Viver Eternamente - Sally Nicholls

8 comentários


Título: Como viver eternamente
Autora: Sally Nicholls
Edição: 2
Editora: Geração Editorial
Ano: 2014
Páginas: 232
Classificação: 4/5
Compare os preços | Skoob


Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. "Como Viver Eternamente", é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.

Como viver eternamente é um livro que nos fala da vida e também da morte. Sam é um garoto de onze anos que está com leucemia e ele sabe que sua vida a qualquer momento pode acabar, ele está ciente disso e por saber ele tenta viver da melhor maneira possível, quer fazer coisas que nunca teve a chance de fazer, algumas consideradas até impossíveis por algumas pessoas ou impróprias para a sua idade. Mas se ele já está praticamente "condenado" por que não deixá-lo desfrutar de momentos bons que irão aliviar sua dor e seus momentos de tristeza. É difícil entender como Deus permite que as crianças adoeçam, essa é uma pergunta que ele se faz, mas a resposta jamais encontrará... uns podem dizer que é a vida... e a vida muitas vezes é injusta, porque uns morrem e outros vivem? Vemos pessoas boas partirem enquanto pessoas más continuam no mundo, será que Deus quer ao seu lado somente as pessoas boas? Sinceramente não sabemos.

O livro é narrado em forma de diário, Sam vai nos apresentando aos poucos como é a sua vida e o que pretende fazer no pequeno tempo que lhe resta. Ele tem uma professora que lhe dá aulas em casa, nessas aulas ele tem a seu lado seu amigo Félix que também está doente, juntos eles irão fazer coisas que sempre tiveram vontade. Félix é um ótimo amigo, também temos a irmã de Sam uma garotinha encantadora que sempre está preocupada com o irmão. Temos os pais, a avó, pessoas que apesar de tudo estão dispostas a viver da melhor forma possível e fazer Sam feliz.

Apesar de ser um livro que tem como tema o câncer em uma criança, ele é leve nos fazendo rir em diversas cenas. O livro começa com Sam nos falando que provavelmente estará morto quando estivermos lendo seu livro e por esse motivo eu não chorei com a leitura, fiquei sim emocionada em diversas cenas, é lindo ver como um garoto de onze anos vê e vive a vida com uma doença tão cruel.

Sally Nicholls nos traz um livro repleto de amor, tão singelo que é impossível ler e não se apaixonar por Sam
Como viver eternamente não é um livro que nos traz dicas de como viver eternamente e sim nos mostra como Sam conseguiu mesmo depois de sua morte viver eternamente em nossos corações.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...